terça-feira, 28 de julho de 2020

VIVO, CLARO E TIM OFERECEM PROPOSTA CONJUNTA DE R$ 16,5 BILHÕES PELAS OPERAÇÕES DA OI


A Telefônica, dona da Vivo, informou na noite desta segunda-feira que seu Conselho de Administração aprovou a prorrogação e revisão da oferta vinculante para aquisição do negócio móvel do Grupo Oi, em conjunto com a TIM e a Claro. A nova proposta é de R$ 16,5 bilhões. A TIM também divulgou o mesmo comunicado ao mercado. De acordo com a Oi, o preço mínimo da operação de telefonia móvel com 34 milhões de clientes é de R$ 15 bilhões.
"Tal proposta conjunta, considera, adicionalmente, a possibilidade de assinar com o Grupo Oi, contratos de longo prazo para uso de infraestrutura. A oferta vinculante revisada foi submetida pelas partes, sendo sujeita a determinadas condições, especialmente a seleção das ofertantes como primeiro proponente, com o direito de oferecer valor maior do que eventual proposta apresentada por terceiro no processo competitivo de venda do negócio móvel do Grupo Oi", informaram Vivo e TIM em comunicado.
Na semana passada, a Oi informou que havia fechado um acordo de exclusividade com a Highline para negociar a venda de suas operações de telefonia celular. O comunicado representou uma reviravolta nas negociações para venda de ativos da Oi.
A reação das rivais na noite desta segunda-feira já era esperada pelo mercado, segundo fontes. TIM, Vivo e Claro, haviam se unido para fazer uma proposta pela operação móvel da tele carioca no início deste ano. No ano passado, o BTG avaliou a Oi móvel em R$ 20 bilhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário