domingo, 3 de maio de 2020

Para PF, "calma, Adélio", frase divulgada por Bolsonaro, é "calma, velho"



A Polícia Federal concluirá nos próximos dias o relatório parcial do segundo inquérito sobre o atentado contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante a campanha eleitoral, em 2018. Porém, a investigação já aponta que um vídeo compartilhado pelo chefe do Executivo sobre a facada foi manipulado.
No material divulgado por Bolsonaro em suas redes sociais, no último sábado (2), um narrador apresenta teorias sobre o atentado, como a de que Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada contra o então candidato à Presidência, não agiu sozinho e tinha um mandante, contrariando a própria PF.
Para contestar a investigação oficial, o narrador do vídeo publicado por Bolsonaro diz que momentos antes da facada é possível ouvir "calma, Adélio". A perícia da PF, porém, concluiu que a frase era "calma, velho" e foi possivelmente dirigida a outra pessoa no local. Os investigadores consideram frágil a tese de que seriam alertas para o esfaqueador.
Agentes ligados ao caso na corporação tratam o conteúdo como mais uma das fake news e boatos sobre a facada desconstruídos pela apuração oficial, que é alvo de forte contestação de bolsonaristas após a saída de Sergio Moro do Ministério da Justiça e Segurança Pública, há duas semanas.
O esfaqueador foi declarado inimputável e absolvido pela Justiça. Ele cumpre medida de segurança na penitenciária federal de Campo Grande (MS). A defesa de Bolsonaro não recorreu da absolvição.
(AP Photo/Eraldo Peres) - Yahoo Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário