sexta-feira, 1 de maio de 2020

Mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave aumentam 670% na Bahia; especialista alerta para demora em notificações



O número de internações e mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) na Bahia disparou nos primeiros quatro meses do ano, o que sugere a demora na confirmação dos casos da Covid-19 e outros vírus relacionados a doenças respiratórias no estado.
Até o dia 28 de abril, haviam sido registrados 1.957 casos de SRAG na Bahia, um aumento de 388% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 401 casos, de acordo com dados da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab).
Comparando o mesmo período dos anos de 2019 e 2020, o número de mortes por SRAG saltou de 31 para 241, o que representa um aumento de 677,4%.
Síndrome Respiratória Aguda Grave é uma doença respiratória grave que exige internação e é causada por um vírus, seja ele o novo coronavírus, o influenza ou outro.
Para o pesquisador de saúde pública no programa de computação científica da Fiocruz, Marcelo Gomes, dois fatores contribuem para que exista uma demora na identificação das doenças respiratórias.
“Tem dois fatores importantes, um, e que é o principal deles, é a demora da liberação dos resultados. Então não é exatamente uma subnotificação, mas uma demora na notificação, na confirmação do caso, que é a questão do exame laboratorial”, disse Marcelo Gomes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário