segunda-feira, 27 de abril de 2020

Juiz bloqueia bens de Cafu por suspeita de participação em golpe


O juiz Aureliano Albuquerque Amorim, da 4ª Vara Cível de Goiânia, decidiu bloquear bens móveis e imóveis e R$ 3 milhões das contas bancárias do ex-jogador e capitão da seleção brasileira Cafu após uma ação civil coletiva movida pelo Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo de Goiás (Ibedec) por danos morais e materiais.
Segundo o G1 Goiás, o ex-jogador estaria participando da negociação de bitcoins, e é apontado como embaixador da empresa Arbcrypto, responsável pelo crime. O bloqueio foi feito para reparar as possíveis lesões financeiras das vítimas do golpe.
A assessoria do ex-jogador, afirmou que Cafu foi apenas garoto-propaganda da Arbcrypto e depois mais uma vítima da empresa. O atleta teria enviado, em dezembro de 2019, uma notificação extrajudicial à Arbcrypto cobrando atrasos de pagamentos pelo uso de sua imagem. Com o atraso nos pagamentos, Cafu exigia a rescisão do acordo e pagamento da dívida.
Além do bloqueio de bens e do dinheiro, a Justiça ainda determinou a paralisação das atividades da empresa por meio físico e virtual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário