quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

PCC planejou explodir dois carros-bomba em SP na Copa do Mundo de 2014


Comemoração de gol no segundo tempo da partida Brasil e Croácia, na Arena Corinthians, que marcou a abertura da Copa do Mundo de 2014 | Foto: Marcello Casal Jr/Agência BrasilMais
Por Josmar Jozino - Ponte Jornalismo - Yahoo Notícias - O PCC (Primeiro Comando da Capital) ameaçou explodir dois carros-bomba em São Paulo durante a Copa do Mundo de 2014, caso algum líder da facção criminosa fosse transferido, à época, para presídios federais.
O plano foi descoberto pela Polícia Civil e pelo Gaeco (Grupo de Apoio Especial de Combate ao Crime Organizado) do MPE (Ministério Público Estadual) em uma investigação conjunta envolvendo 35 pessoas acusadas por tráfico de drogas no ABC Paulista.
Havia rumores de que o PCC iria cometer atentados e que a Copa do Mundo de Futebol seria o “Mundial do terror”. O temor por possíveis ataques teve repercussão até em jornais da Europa.
As autoridades, no entanto, jamais admitiram oficialmente a existência de planos terroristas da maior facção criminosa brasileira durante os jogos do Mundial de 2014 no Brasil.
Mas as escutas telefônicas interceptadas pela Polícia Civil e pelo Gaeco em 28 de abril de 2014 – 45 dias antes da cerimônia de abertura da Copa do Mundo na Arena Corinthians – mostraram exatamente o contrário.
A Ponte teve acesso às transcrições dos diálogos. Um dos alvos, James Mendes da Silva, conhecido como Gordão ou Gê, liga para o parceiro de crime Marcos Laureano da Silva, o Galego ou São Paulino.
Gê manda Galego pegar caneta e papel para anotar um “salve” (recado), comunicando que “se alguém do PCC for arrastado (transferido) para presídio federal, não vai ter Copa do Mundo”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário