quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

Ao menos 40 pessoas teriam participado de homicídio de mórmons no México

Um grupo de 17 integrantes das famílias LeBarón e Langford viajava em três veículos pelos limites dos estados de Sonora e Chihuahua, fronteiriços com os Estados Unidos, quando foram atacados

Pelo menos 40 pessoas teriam participado da chacina de três mulheres e seis crianças pertencentes a uma comunidade mórmon de origem americana com sede no estado de Sonora, norte do México, disse o advogado de uma das famílias das vítimas nesta terça-feira (7).
"Participaram pelo menos 40" pessoas nos assassinatos cometidos no início de novembro, disse Abel Murrieta, advogado da família LeBarón, após uma reunião com o promotor que cuida do caso, Alejandro Hertz.
"Até agora, sete foram presos e aparentemente há cerca de 40 que participaram (...) todos eles são de (estado de) Chihuahua", mas são identificados apenas por "apelidos", acrescentou Julián LeBarón, parente de uma das mulheres assassinadas e uma das vozes mais ativas da comunidade mórmon no país.
As autoridades informaram que pistoleiros pagos por traficantes seriam os responsáveis pelo crime, no qual morreram as mulheres e as crianças, incluindo dois bebês, pertencentes às famílias Miller, Langford, Johnson e LeBarón.
A chacina dos mórmons provocou indignação no México e nos Estados Unidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário