quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Uesc faz alerta sobre riscos de manchas de óleo

Desde o final do mês de agosto diversas manchas de óleo (petróleo cru) têm aparecido nas praias do nordeste brasileiro.
No Estado da Bahia, as últimas informações (30/11) apontam óleo atingiu desde o litoral Norte do Estado até à região de Abrolhos, com identificação de camadas espessas de óleo no mar, poluindo praias, estuários e manguezais, já sendo considerado o maior acidente ambiental da Bahia.
Na Costa Cacau, sul da Bahia, as manchas já atingiram vários munícipios, impactando recursos hídricos, biológicos e a economia local.
A Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) se solidariza com a comunidade local e informa que está mobilizando seus recursos técnicos e humanos para apoiar ações de informação, monitoramento e mitigação dos impactos sociais e ambientais nas áreas atingidas.
O petróleo e seus derivados possuem substâncias químicas com diferentes graus de toxicidade, com destaque para os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (hpa). Em nossas atividades cotidianas podemos ficar expostos, em diferentes situações e concentrações, como no manuseio de solventes, postos de combustíveis ou mesmo acidentes com estes produtos.
Porém, no caso do petróleo cru liberado em grandes quantidades no ambiente, tanto a diversidade, como a concentração destas substâncias pode atingir níveis muito elevados, com a presença centenas de compostos químicos como os hidrocarbonetos aromáticos e alifáticos, além de outras substâncias como metais. Quando este material entra em contato com a água, o ar e a luz reage, liberando substâncias parte destas substâncias, algumas muito tóxicas, que podem provocar danos severos à saúde de pessoas, animais e plantas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário