sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Trio usa documentos falsos para financiar motos e acaba preso pela Polícia Civil



Campo Grande (MS) – Investigadores do Grupo de Operações e Investigações (GOI) da Polícia Civil, prenderam ontem (24) em Campo Grande duas mulheres e um homem, acusados de usar documentos falsos para financiar motocicletas e tomar empréstimos em nome de terceiros.
Conforme o GOI as mulheres A. C. O., 32 anos e T. P. S., 26 anos, que são namoradas eram responsáveis pela tomada de financiamentos junto à concessionárias e bancos, enquanto que A. P. S., 41 anos, era quem fornecia os documentos falsos, com o apoio de um quarto envolvido que já foi identificado pela Polícia Civil.
O GOI prendeu as mulheres em flagrante nesta quinta-feira, em uma concessionária da Avenida Mato Grosso, quando elas assinavam os documentos para a retirada de uma motocicleta, utilizando o documento falso em nome de outra pessoa.
Ao ser preso, o casal detalhou a forma de agir da associação criminosa e informou que A. P. S., fornecia os documentos falsos e em troca recebia 50% do valor da venda dos veículos e dos financiamentos tomados em nome de terceiros.
Em diligências ao endereço do terceiro envolvido, na Avenida Thyrson de Almeida, no bairro Aero Rancho, os policiais conseguiram localizar e prender A. P. S.. Durante vistorias ao imóvel em que reside o acusado, os investigadores localizam e apreenderam o telefone celular que ele utilizava para falar com as mulheres.
Em uma das casas da Rua Independente, onde reside o casal, o GOI apreendeu diversas folhas com dados pessoais de aposentados, que seriam utilizados para a confecção de novos documentos falsos, com o intuito de aplicar mais golpes. As presas informaram que o material foi deixado no imóvel por A. P. S..
Preso, o trio foi encaminhado à Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário do Centro de Campo Grande (Depac Centro), onde foi autuado em flagrante por tentativa de estelionato e associação criminosa, sendo em seguida colocado à disposição da Justiça.
Publicado por: JOELMA BELCHIOR

Nenhum comentário:

Postar um comentário