terça-feira, 13 de agosto de 2019

Acusado de matar ex-prefeito de Pau Brasil no banco de réus


Teve início na manhã desta terça-feira (13), no Fórum Desembargador Antonio Calos Souto, em Camacan, o Júri popular que colocou no banco dos réus, Welington Uatson Araújo, 31 anos. Pesa contra ele acusação de ter matado o ex-prefeito de Pau Brasil, Marco Rocha. O crime ocorreu no dia 24 de janeiro de 2017, por volta das 10: horas, quando a vítima estava na porta de sua residência, à rua 2 de Julho centro de Camacan.
O plenário do Júri é presidido pelo juiz Felipe Remonato. A acusação é impetrada pelo Promotor de Justiça, Pedro Paulo de Paula Vilela Andrade. Assistentes de acusação: Advogado Genádio de Andrade Neto e Gutemberg Passos. A defesa está sendo feita pelos advogados Cosme Reis e Marcos Paulo Alves. Entre as 15 pessoas escolhidas, 7 foram sorteadas para compor o Júri. A Promotoria está trabalhando com a convicção que o réu estava no local do crime e sua tese implica na condenação de Welington. Cosme Reis, advogado de defesa disse o ao portal O Tempo Jornalismo, que a Promotoria pública deve absolver seu cliente, porque não existem provas suficientes, apontando que ele estivesse no local no dia que o crime ocorreu e destacou que ele não tem participação na morte do ex-prefeito.
No dia 6 de julho de 2019, o Delegado Francesco Denis da Silva Santana, ladeado do Perito Criminal, Paulo Roberto Libório, membro do Departamento de Polícia Técnica de Itabuna, (DPT), fez uma reprodução simulada (reconstituição), do homicídio do ex-prefeito de Pau Brasil, Marco Rocha, 60 anos. Desde que o ex-prefeito foi assassinado, a Polícia Civil, vinha investigando o homicídio e conseguiu prender três suspeitos, dia 28 de Junho do mesmo ano.
A testemunha do homicídio, com um a touca ninja na cabeça, detalhou na reconstituição, como os criminosos agiram momentos antes da execução. Eles estavam abordo de uma motocicleta em uma esquina da rua 2 de Julho, próximo onde a vítima morava. O atirador desceu da garupa, caminhou em direção a residência da vítima, e atirou à queima roupa, culminando com a morte do empresário. A testemunha do homicídio, com um a touca ninja na cabeça, detalhou na reconstituição, como os criminosos agiram momentos antes da execução.
Eles estavam abordo de uma motocicleta em uma esquina da rua 2 de Julho, próximo onde a vítima morava. O atirador desceu da garupa, caminhou em direção a residência da vítima, e atirou à queima roupa, culminando com a morte do empresário. Ainda de acordo com a testemunha, após efetuar os disparos, o atirador saiu correndo em direção ao Banco do Brasil, enquanto o piloto da motocicleta, esperava na esquina de acesso ao Hospital Santo Antônio. A polícia encontrou os suspeitos após investigações de imagens, depoimentos de testemunhas e escutas telefônicas. (O Tempo Jornalismo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário