sexta-feira, 5 de julho de 2019

AGRÔNOMO GRADUADO NA UESC GANHA BOLSA PARA PhD NA HUNGRIA E CRIA "VAKINHA" PARA AJUDAR NAS DESPESAS

Kevein quer fazer seu PhD na Hungria
ID da vaquinha: 627572

Então pessoal, acabo de ser aceito para um PhD na Europa (Hungria) com bolsa de estudos. O problema é que não irão cobrir meus gastos de ida para lá. Como irei precisar abrir uma conta bancária na Hungria para receber a bolsa, é aconselhável que eu leve também uma quantia suficiente para passar de um a dois meses sem auxílio. É por isso que criei essa Vakinha! :) #ajudemokevein ajudemobaiano.

Bom, começarei contando um pouco da minha história pra todo mundo que não me conhece, mas que por algum motivo veio parar aqui... Boa parte da minha vida estudei em instituições públicas, tendo realizado o ensino fundamental na Escola Municipal Humberto de Campos, o ensino médio na Cooperativa Educacional de Eunápolis, e todo o meu ensino superior vem sendo feito em universidades públicas. Todos sabemos que conseguir uma vaga em instituições de excelência no Brasil não é nada fácil, mas apesar das dificuldades, fui aprovado para o curso de Engenharia Agronômica na UESC e na UFES. Hoje, sou Engenheiro Agrônomo formado pela UESC.
Sempre soube que meu futuro seria construído na vida acadêmica. Durante a graduação tive a oportunidade de participar de diversos projetos de pesquisa, sendo bolsista da FAPESB e do CNPq. Em 2013, me candidatei a uma bolsa de estudos do Programa Ciência sem Fronteiras (Programa de Intercâmbio do Governo Federal) e fui selecionado para a realização de intercâmbio de um ano e meio na Curtin University (Austrália). Embarquei nesta jornada aos meus 21 anos, sem nunca ter feito sequer um curso de Inglês no Brasil (meu Inglês era de aprendizagem própria, baseado em filmes e séries). Conheci um mundo totalmente novo, e isso foi o início de uma aventura que mudou a minha vida, minha visão sobre minha formação acadêmica e principalmente sobre o meu país. Na Austrália, várias portas começaram a se abrir para mim em consequência do meu esforço e bom desempenho acadêmico, das quais posso citar um estágio no Departamento de Agricultura e Comida da Austrália Ocidental (DAFWA). Até hoje mantenho contato com uma professora que tive durante o intercâmbio, a Dra. Sarita Bennett, que participa ativamente de meus projetos de pesquisa como colaborada internacional, e que nunca mediu esforços, assim como a minha atual orientadora, a Prof. Dra. Priscila Lupino Gratão, para me ajudarem nas diversas seleções que tenho prestado ao longo da vida. Sou grato também a muitos outros professores que tive durante esses anos, que me proporcionaram oportunidades ímpares e que sempre se mostraram dispostos a me ajudar. Tudo isso acrescentou e muito ao meu currículo, conjuntamente com todos os trabalhos que tenho apresentado e submetido a eventos nacionais e internacionais na área de Ciências Agrárias. Fui para a Austrália com pouca ou nenhuma visão sobre meu futuro, mas voltei de lá com um projeto de vida em mente: iria terminar minha graduação em Engenharia Agronômica na UESC, voltar para a Austrália e dar continuidade aos meus estudos em nível de mestrado e doutorado. Ao retornar ao Brasil, tinha ainda metade do curso de graduação pela frente, e nas mãos a importante decisão de escolher entre uma pós-graduação ou o mercado de trabalho. Optei pela primeira opção, estou acabando meu mestrado e irei dar início ao meu doutorado ainda este ano.
Após finalizada a graduação, apliquei para programas de mestrado e doutorado na Austrália, sendo aceito em ambos. Decidi cursar o doutorado na Curtin University, onde já havia estudado durante o intercâmbio e tentei uma bolsa de estudos financiada pelo CNPq, mas que infelizmente por conta do corte de gastos na educação aqui no Brasil, acabei não conseguindo. Como já sabia dessa possibilidade, me inscrevi também em programas de mestrado em três universidades brasileiras (UESC, UNESP e UFV). Fui aprovado nas três e iniciei meu mestrado na UNESP.
Como estou finalizando meu mestrado, apliquei para programas de doutorado aqui no Brasil e fora do país. Infelizmente, a bolsa que iria tentar esse ano para a realização do meu doutorado na Austrália sob a supervisão da Dra. Sarita Bennett foi encerrada pelo governo australiano. Assim, comecei a procurar por outras oportunidades e bolsas para estudantes internacionais, e foi aí que tive conhecimento do programa de bolsas da Hungria, o Stipendium Hungaricum Scholarship Programme. Decidi então aplicar para um programa de PhD na Hungria e apliquei também para o doutorado aqui no Brasil, tendo sido contemplado com bolsas de estudo na UNESP (Brasil) e na Szent István University (Hungria). Para o programa de PhD que me candidatei na Hungria e para a universidade que escolhi, fiquei classificado em 1º lugar entre os candidatos de diferentes países que concorreram comigo. Toda essa minha trajetória acadêmica sempre teve um único objetivo: me tornar pesquisador e professor no ensino superior. É disso que eu gosto e é nisso que sou bom. Nasci para a academia, pra ensinar, pra fazer pesquisa, e espero poder contribuir ativa e diretamente para o desenvolvimento do meu país, do meu estado e da região onde nasci.
Optei por fazer meu PhD em Fitotecnia (Plant Sciences) na Szent István University em Gödöllő, Hungria. A bolsa de estudos para a qual fui aprovado consiste em um valor mensal pra subsistência durante os quatro anos de duração do doutorado (48 meses) + seguro saúde + alojamento em residência universitária, além do pagamento de todas as taxas escolares (algo em torno de 75,000.00$ Euros - 332,000.00$ Reais). Os benefícios da bolsa são excelentes, e eu jamais poderia pagar por todos eles. Acontece que não irão custear o meu deslocamento até a Hungria (passagem de ida), e tampouco pagar pela tradução juramentada de alguns documentos que preciso (diploma, histórico escolar, atestado médico e certidão de antecedentes criminais), por exigência da Szent István University. Além disso, como precisarei resolver algumas questões burocráticas ao chegar na Hungria, como por exemplo a emissão da minha permissão de residência, e abertura de uma conta bancária para começar a receber a bolsa, é aconselhável que eu leve uma quantia suficiente para passar de um a dois meses sem auxílio financeiro. Dessa forma, todos esses gastos ficariam em valores mais ou menos como os listados abaixo:
R$3.000,00 +/- (passagem pra Hungria)
R$2.000,00 +/- (valor reserva até que eu comece a receber a bolsa)
R$400,00 (gastos com o visto para a Hungria)
R$600,00 (traduções juramentadas)

No momento, e como ainda sou bolsista de mestrado na UNESP, não estou trabalhando (e nem posso, pois exigem dedicação exclusiva). Mas quem me conhece sabe que já fiz tudo para chegar até aqui, atuando como professor de Inglês, vendendo trufas de chocolate na UESC (graduação), e por aí vai... O problema é que só acabo o mestrado no início de agosto e já tenho que viajar para a Hungria em setembro. O valor que recebo com bolsista de mestrado é o suficiente para viver, praticamente não sobra nada. O custo de vida em São Paulo é relativamente alto e com o que ganho por mês fica difícil conseguir juntar uma quantia dessas em tão pouco tempo.
Disponibilizo aqui o meu e-mail pra quem quiser saber um pouco mais sobre meu trabalho como pesquisador que atua na área de Ciências Agrárias, sobre meu projeto de pesquisa durante o mestrado e sobre minhas ideias e projetos para o PhD na Hungria (minha pesquisa envolve o uso de atenuadores de estresse que visam redução do uso de agroquímicos e de custos aos produtores rurais, resultando também em menores índices de contaminação ao meio ambiente e aproveitamento de subprodutos da mineração, como o silício).
Encontro-me à disposição dos que tiverem dúvidas sobre como procurar por oportunidades de bolsas de estudo e de intercâmbio fora do país. Será um prazer contribuir de qualquer forma que seja e com o que estiver ao meu alcance. Posso ajudar de outras formas também, seja traduzindo documentos, dando dicas, compartilhando informações... Enfim, contem comigo!
Muito Obrigado!

Email: kevein.ruas@hotmail.com
Celular - Whatsapp: (73) 9 9197-6909
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8844185345303022
$contribua

Nenhum comentário:

Postar um comentário