segunda-feira, 22 de abril de 2019

Costureiras são beneficiadas com curso de figurino do TPI

Uma parceria entre o Teatro Popular de Ilhéus (TPI) e a Associação Centro Educacional de Ação Integrada (ACEAI) tem beneficiado costureiras da comunidade ilheense com um curso de figurino e adereços para teatro. As aulas são ministradas pelo figurinista e cenarista Shicó do Mamulengo, que atualmente compõe a equipe de atores do TPI, além de ser responsável pela elaboração de figurinos, adereços, bonecos e cenários de diversos espetáculos da companhia.
O curso, cujas inscrições ocorreram em fevereiro, é gratuito e voltado para pessoas que já possuíam experiência em corte e costura, oferecendo assim um total de 96 horas de formação em criação de figurinos teatrais. As atividades começaram no início de março e acontecem na ACEAI, localizada no bairro Nossa Senhora da Vitória, às segundas, quartas e sextas pela manhã. As aulas devem ser concluídas até o final do mês de abril.
A proposta é de estudo e construção de figurinos pelo método da modelagem e costura a partir de desenhos, peças de roupas pré-existentes e materiais recicláveis, de forma prática e de fácil execução. O objetivo do projeto é familiarizar o aluno com os tipos de tecidos, caimentos e materiais têxteis para a confecção de figurinos para teatro, bem como trabalhar a montagem de modelagens e a construção de roupas através da técnica de mulagem e montagem a partir de desenhos criados em pesquisas coletivas tendo como base um espetáculo que está sendo montado pelo TPI.
O curso faz uso de material reciclado, unindo sustentabilidade e criatividade em prol da arte. São exemplos de materiais reaproveitados na confecção das roupas e adereços: tecido de guarda-chuva, pneus, cintos, calças jeans, tampilhas de garrafa, caixas de leite e sapatos. A maior parte do material foi recolhido pelo TPI e pelo ACEIAI numa campanha de arrecadação de materiais recicláveis ocorrida em fevereiro e março.
São alunas regulares no curso as costureiras Maria Amélia Oliveira, Marisa Braz, Regina Aquino, Patrícia Silva, Eliane Marques e Selma França. Algumas delas já participaram da produção de figurinos de espetáculos anteriores do TPI. “Pra nós no começo foi estranho, pois não estávamos acostumadas com esse tipo de costura. Então fomos aprendendo e acostumando, e hoje a gente vê que é um trabalho muito bonito que estamos aprendendo a fazer. Vai ser uma satisfação ver o resultado desse curso sendo exibido no palco da Tenda”, relatou Amélia.
Shicó percebe que o trabalho com as alunas torna o resultado mais rico. “É muito gratificante ver a forma como as participantes recebem o projeto, pois se por um lado eu cheguei com algumas ideias prontas, por outro o olhar delas enriqueceu muito a produção como um todo. Mais do que profissionais, elas mostraram que são artistas”, conta o figurinista. Segundo ele, já foram finalizadas 8 roupas; a previsão é que se cheguem em 12 itens até o final do curso.
O espetáculo do Teatro Popular de Ilhéus para o qual o curso está confeccionando os figurinos é uma montagem inspirada na obra “Santa Joana dos Matadouros”, de Bertolt Brecht, que completará a Trilogia da Guerra composta também pelos espetáculos “Os fuzis da Senhora Carrar” e “Uma certa Mãe Coragem”, estreados no TPI nos anos de 2017 e 2018, respectivamente. A expectativa é que a terceira peça tenha sua estreia ainda no primeiro semestre de 2019.
O Teatro Popular de Ilhéus é uma instituição cultural mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais – uma iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, mecanismo que custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário