sexta-feira, 1 de março de 2019

Mulher que orquestrou homicídio de ex-companheiro é presa pela Polícia Civil em Fortaleza



Policiais civis do 32º Distrito Policial (Bom Jardim) cumpriram, nessa quinta-feira (28), um mandado de prisão temporária contra uma mulher investigada por ser a mandante de um homicídio que vitimou o seu ex-companheiro, em Fortaleza. De acordo com as investigações da Polícia Civil, Maria Flávia Rodrigues Fernandes Alves (51), conhecida por “Soraia”, arquitetou a execução, ocorrida no dia 5 de fevereiro, e a motivação seria porque a mulher não aceitava que a vítima estivesse em outro relacionamento.
As apurações iniciaram após o homicídio de Francisco Alderi Alves Ferreira (51), ocorrido no Jardim Jatobá, em Fortaleza. Durante o fato, dois homens entraram no estabelecimento comercial da vítima e, após um breve diálogo, efetuaram disparos de arma de fogo que vitimaram o comerciante. Com diligências efetuadas pelo Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio) da Polícia Militar do Ceará (PMCE), os dois executores foram presos, em Maracanaú (AIS 12).Eles foram identificados como Felipe Pinto de Sousa (24), com antecedentes por associação criminosa; e Francisco John da Silva Barros (30), com passagens pela Polícia por roubo e tráfico de drogas. Após busca pessoal, foram encontrados um revólver calibre 38, com três munições deflagradas e duas intactas; e pertences subtraídos da vítima, como a carteira e um cordão.
Os primeiros indícios apontavam unicamente para um crime de latrocínio, mas após investigações do 32° DP, a Polícia Civil concluiu que o crime foi ordenado por “Soraia”, ex-companheira de Alderi. Com isso, foi representado pelo mandado de prisão temporária contra a investigada, que foi localizada, ontem, no bairro Conjunto Ceará (AIS 2). Contra a mulher já constam passagens pela Polícia por porte ilegal de arma de fogo e um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por ameaça. Ela foi encaminhada para o 32° DP, onde foi ouvida. Agora, ela se encontra à disposição da Justiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário