quinta-feira, 18 de outubro de 2018

POLÍCIA CIVIL PRENDE ACUSADOS POR ENVOLVIMENTO COM O TRÁFICO DE ENTORPECENTES NO BAIRRO DO SÃO FRANCISCO

Foto: Nilson Figueiredo - Por Mauro Wagner / Ascom – PC
A Polícia Civil do Maranhão realizou nesta quarta-feira (17), a prisão de um grupo envolvido com ações de crime, relacionados com o tráfico de entorpecentes no bairro do São Francisco. A prisão aconteceu por intermédio da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (SENARC). A quadrilha foi presa por conta de um Mandado de Prisão Preventiva, advindo da Central da Comarca da capital, pelo Mandados de Busca e Apreensão, e ainda por conta de sequestro de veículos. Com eles foram encontrados drogar e um valor em dinheiro de R$ 19 mil reais. Após a prisão eles foram encaminhados para a sede da SENARC e autuados pelo crime de tráfico de drogas.Após a SENARC autuar os criminosos repassou à imprensa, que o grupo já estava sendo investigado há cerca de 10 meses, pelos crimes de tráfico de entorpecentes. A prisão após as investigações e monitoramento a operação “puleiro”, se deu nesta quarta-feira (17), pela comercialização de entorpecentes na capital. Foram presos no bairro do São Francisco, os criminosos Greidson dos Anjos Ramos; Ronaldo Santos Marques, o mototaxista; Marcio da Silva Ramos; Edmilson Santos Costa Ferreira JR, conhecido pelo apelido de “Junho Galinha, e o policial militar, Roberval de Sousa Muniz”, que seria o chefe da associação criminosa. O apelido se deu, por conta de ele ter adquirido um box, que comercializa a venda de frango, localizado na feira do bairro do São Francisco.
As prisões contra os acusados foram por conta de um Mandado de Prisão Preventiva, advindo da Comarca da capital, pelo Mandados de Busca e Apreensão, e ainda por conta de sequestro de veículos. Os acusados repassavam entorpecentes (cocaína), para pessoas de alto poder aquisitivo. Os demais presos na operação ajudavam o “Junho galinha” na distribuição dos entorpecentes e ainda na guarda dos entorpecentes. Na residência dos mesmos foram apreendidos uma porção de entorpecentes, uma quantia em dinheiro no valor de R$ 19 mil reais. Na casa de outro acusado fora encontrado 10 papelotes de cocaína. Na entrevista, o delegado da Senarc AlbertFontes, informou acerca da prisão do Junho Galinha, que o mesmo realizada a venda dos entorpecentes na sua própria casa. Usava também um motoqueiro e demais partícipes do grupo, para a distribuição dos entorpecentes. O delegado informou, que inclusive por meio de um monitoramento, o Junho Galinha fora flagrado na sua própria residência entregando a droga para um cliente. O delegado adiantou, que o box de frangos, era usado apenas para disfarçar a venda dos entorpecentes, serviria na verdade, para a lavagem do dinheiro da venda das drogas.

Policial Militar é preso por apoiar as ações da quadrilha
O Superintendente da SENARC, o Delegado Carlos Alessandro, ressaltou ainda, que o Junho Galinha, fora preso em 2015, pela Polícia Civil, por meio da delegacia do bairro do São Francisco, aprendeu com Junho Galinha, a quantia de RS 200 mil reais. Fora instaurado um inquérito policial para a verificação dessa circunstância. O Superintendente mencionou ainda, que nessa operação fora descoberto, que um policial militar, estava envolvido nas ações criminosas do grupo. “O policial fora identificado pelo nome de Roberval de Sousa Muniz, e que seria sargento do 8º BPM da capital. O militar recebia periodicamente do junho Galinha, uma quantia em dinheiro, afim de repassar informações de eventuais operações policiais, que ocorriam no bairro do São Francisco e adjacências, no sentido de frustrar as operações contra o criminoso e demais ações da polícia no bairro” sinalizou o superintendente. O policial militar Roberval de Sousa Muniz foi preso na sus própria residência e se encontra preso, nas dependências do presídio, localizado no Comando Geral da Polícia Militar.

Trabalho primoroso da Polícia Civil contra as ações crime no Estado
Na entrevista repassada aos repórteres na sede da SENARC, o superintendente da SENARC, Carlos Alessandro adiantou ainda, que a Polícia Civil, por meio da Senarc, já realizou em 2018, a apreensão de 1920 kg de entorpecentes, entre crack e cocaína. Já realizou a apreensão de 45 armas de fogo. Realizou ainda a prisão de 263 pessoas, ligadas ao tráfico de drogas. A SENARC está apta a investigar e monitorar qualquer ação criminosa, envolvendo o tráfico de entorpecentes. O número de denúncias da Senarc é o 9 9163 4899.

Nenhum comentário:

Postar um comentário