sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Invasão e violência em área quilombola de Lauro de Freitas exigem ação governamental antes de uma tragédia, afirma Hilton Coelho (PSOL)

O vereador Hilton Coelho (PSOL) reivindica que a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP) tome providências imediatas para “acabar com ações que se caracterizam de pessoas certas da impunidade que invadem e destroem residências, matam animais, invadem, oprimem e humilham certos de que não serão alcançados pela lei. Na madrugada desta quinta-feira, 13, houve uma ação violenta na Comunidade Quingoma, que recebeu certificação de reconhecimento como território quilombola, concedida pela Fundação Palmares. Acionamos a coordenadora do Grupo Especial de Mediação e Acompanhamento de Conflitos Agrários e Urbanos (GEMACAU), delegada Giovanna Bomfim solicitando sua intervenção. Solicitamos mais uma vez uma audiência com o secretário de Segurança Pública Maurício Barbosa e esperamos que desta vez sejamos atendidos. Reivindicamos um encontro com a titular da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Fabya dos Reis”, afirma.O vereador destaca que “já foram feitas denúncias anteriores, porém, as ações violentas e intimidatórias contra a comunidade continuam e na madrugada de quinta-feira, 13, tentaram invadir a casa da filha de uma das lideranças e fizeram diversas ameaças, pressão e terrorismo psicológico para que as lideranças saiam do local. Até quando a SSP se manterá sem atuar de forma efetiva? Por que o governo estadual se cala? Será que é preciso ter mortes no local para que algo seja feito?”, indigna-se Hilton Coelho.
Segundo relato da comunidade, as violências se tornam mais graves a cada dia que passa. “Solicitamos rigor na apuração dos crimes pela Polícia Civil, efetivando-se o direito à segurança pública para que não ocorram conflitos mais graves na região, atingindo a vida dos quilombolas. A proteção devida tem sido negada em todos os âmbitos governamentais. Federal, através do suporte que deveria ser dado pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Estadual, em decorrência da falta de posicionamento efetivo da Delegacia Policial. E municipal, pela omissão da Prefeitura de Lauro de Freitas em se posicionar acerca da questão”, afirma o legislador.
Hilton Coelho conclui afirmando que “há um triste histórico de intimidações violentas de todos os tipos, sem que nada tenha sido feito para assegurar a proteção e segurança do Quilombo Quingoma. Diante de tantas formas de amedrontar a comunidade, os moradores vivem uma situação de intranquilidade e terror psicológico. Além disso, recentemente a comunidade realizou um ato em conjunto com a reserva indígena existente no local. Tudo indica que as agressões desta madrugada visa intimidar a organização popular. Os quilombolas exigem apoio e proteção do Estado, o que até agora não se efetivou. Parece que o governo estadual espera ocorrer alguma tragédia para só depois simular agir”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário