sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Diversidade de ritmos marcou a reabertura do Projeto Seis e Meia em Ilhéus

A reabertura do Projeto Seis e Meia, na noite de quarta-feira (26), no Teatro Municipal de Ilhéus foi marcada pela diversidade de ritmos como rock in roll, rap e canções de trabalhadores da lavoura do cacau, lavadeiras e marisqueiras. Idealizado pela Secretaria da Cultura, a iniciativa tem o objetivo de promover os artistas regionais, além de fomentar o cenário cultural e divulgar os valores dos músicos do município. A primeira apresentação foi do artista Ayam Ubrais Barco, seguida das bandas Intuito Neutro e Mulheres em Domínio Público.

Os projetos contemplados para esta nova formatação do Projeto Seis e Meia serão apresentados quinzenalmente, até 31 de outubro deste ano, sempre às quartas-feiras, pontualmente às 18h30min. A Secretaria da Cultura de Ilhéus selecionou doze, das 22 propostas de espetáculos musicais inscritas no edital, que visam estimular o desenvolvimento da música em diversos gêneros.

As atrações – O artista Ayam Ubrais Barco, do município de Ipiaú, disse que foi incrível participar deste projeto de alta relevância musical, e ainda fazer parte da sua abertura. “Escrevemos e compomos coisas direcionadas à consciência e ao coração das pessoas, para que criem determinadas condições e possam entender o lugar onde elas estão. E assim, entendendo, possam lutar por lugar, e aprofundamentos da democracia”, ressaltou.

A banda Mulheres em Domínio Público mostrou o show "Em cantos da terra de Jorge". Composta por Cris Passos, Geisa Pena, Ingrid Luise e Tacila Mendes o grupo estava acompanhado de quatro músicos que executou releituras de cantigas populares de domínio público que preserva a melodia, linguagem e temas originais. A banda atua no cenário musical desde 2012.

O grupo Intuito Neutro é formado pelos músicos, vocalistas e beatmakers Sandro Maia e Igor Moutta. Com composições autorais, a dupla tem o rap como bandeira e se dedica a difundir a cultura deste gênero musical no cenário musical ilheense. A direção artística foi de Letto Nicolau e a produção executiva ficou a cargo de Beto Produções.

O secretário da Cultura de Ilhéus, Pawlo Cidade, disse que projetos estruturantes são os que fortalecem a ‘prata da casa’. “São ações como essa que fomentam e fortalecem a produção cultural e musical do município. Especialmente por ver que muitos músicos são destaques hoje na cidade e na região, que surgiram do Seis e Meia, a exemplo de Keketa, Délio Santiago, Letto Nicolau, que inclusive criou a filarmônica São Jorge dos Ilhéus, dentre outros nomes que aos poucos foram entendendo como se estruturar no cenário musical e avançar, e hoje estão no mercado criando ações e potencializando a sua música”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário