terça-feira, 21 de novembro de 2017

Caminhada chamou atenção para injustiças contra população negra

No dia dedicado à reflexão sobre a consciência negra, uma caminhada com a participação de movimentos sociais e de integrantes do Ilê Axé Odara, saiu do Jardim do Ó às 16h e seguiu pela avenida Cinquentenário nesta segunda-feira (20) em Itabuna. O movimento chamou atenção para as desigualdades sociais do país e injustiças vividas pela população negra.
No mercado, pretos e pardos enfrentam mais dificuldades na progressão da carreira, na igualdade salarial e são mais vulneráveis ao assédio moral, afirma o Ministério Público do Trabalho.
Panfletos contra o racismo e a intolerância foram distribuídos, além de faixas e banners da Frente Brasil Popular, CTB e CUT, contra as reformas trabalhista e previdenciária.
De acordo com Carta Capital, no Atlas da Violência 2017, lançado Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a população negra também corresponde a maioria (78,9%) dos 10% dos indivíduos com mais chances de serem vítimas de homicídios. Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública homens, jovens, negros e de baixa escolaridade são as principais vítimas de mortes violentas no País. A população negra corresponde a maioria (78,9%) dos 10% dos indivíduos com mais chances de serem vítimas de homicídios. Por Andreyver Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário